"Na atual sociedade da informação, o que se procura (...) é o líder sábio, cuja capacidade de guiar as pessoas seja apurada pelos caminhos do conhecimento e da ética"

sábado, 13 de fevereiro de 2010

Empresas brasileiras são as que mais limitam uso de redes sociais

No Brasil, 55% das companhias restringem uso de serviços como Twitter e Facebook no trabalho, acima da média mundial de 20%. Empregadores temem queda de produtividade

Redação CIO Brasil

Publicada em 10 de fevereiro de 2010 às 15h29

Mais da metade das empresas brasileiras proíbe de alguma forma o acesso às mídias sociais no trabalho, de acordo com pesquisa realizada pela consultoria de recursos humanos Manpower.

Segundo o levantamento, 55% das companhias instaladas no País limitam o uso de redes sociais. Dos empregadores entrevistados, 77% acreditam que o uso das redes pode prejudicar a produtividade das equipes, enquanto outros 32% afirmam que as regras de acesso visam proteger informações da empresa. Nesse sentido, a preocupação com a imagem corporativa foi citada por 19% dos entrevistados como motivo para as restrições.

Entre os setores que mais limitam os empregados estão o financeiro, com 81%; seguido do segmento de transportes, com 65%; e administração pública e educação, com 58%.

As empresas brasileiras são as que mais exercem controle sobre o acesso às redes sociais. A média global  de organizações com a mesma atitude é de 20%. Nas Américas, o número chega a 29% e entre as organizações europeias e africanas, a limitação ocorre em apenas 11% do casos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário