"Na atual sociedade da informação, o que se procura (...) é o líder sábio, cuja capacidade de guiar as pessoas seja apurada pelos caminhos do conhecimento e da ética"

domingo, 18 de outubro de 2015

Os maiores problemas no mundo é a falta de boas lideranças...


Ao ler este ótimo livro, "A NeoEmpresa", do César Souza, me confrontei um um dos melhores textos sobre a problemática que a falta de liderança traz para toda a humanidade.
Reproduzo aqui uma parte do texto e recomendo a aquisição deste livro. Clique aqui para adquirir!
Segue abaixo este texto que destaco:

"Por toda a parte percebemos a escassez de líderes, em qualidade e quantidade, não só no mundo político. A escassez de líderes corrói as empresas, as escolas, as famílias e as comunidades. Enquanto isso, proliferam em posição de liderança indivíduos cujos valores são no mínimo questionáveis. Os jornais nos surpreendem com as peripécias de líderes oportunistas em vários países.

A severa turbulência que tem abalado a estrutura financeira mundial nos últimos anos, causando enorme onda de desemprego e afetando a vida de milhões de pessoas, não se origina apenas de um problema de escassez de crédito, mas também de falta de líderes responsáveis. Assistimos a uma crise de valores na qual interesses pessoais de curto prazo puseram em risco a sustentabilidade do sistema e levaram ao caos antigos ícones do mundo moderno, fazendo ruir as bases de economias antes tidas como sólidas. A crise é, principalmente, de liderança!

Assistimos ao triste espetáculo de empresas sólidas se desmancharem quando o fundador deixa seu cargo. Faltam sucessores preparados. Na maioria ainda predominam os chefes aos líderes. Ficamos surpresos ao tomar conhecimento de que as empresas gastam verdadeiras fortunas apenas para formar gerentes mais eficientes, mas não conseguem formar líderes eficazes. Na nossa empresa, muitos empreendimentos potencialmente vitoriosos sucumbiram diante da triste constatação: "A ideia é boa, mas infelizmente não temos quem possa liderar esse projeto! (...)

Também faltam líderes inspiradores nas escolas. Eis alguns sintomas dessa carência: professores que raramente conseguem despertar a atenção de alunos desmotivados e indisciplinados, educadores intimidados por crianças que nem sequer chegaram à adolescência, uso crescente da violência verbal e até mesmo física para resolver desavenças, jovens mais informados até que mestres despreparados. Em muitas comunidades, as adversidades de infraestrutura básica são tão severas que o ofício de ensinar transforma-se quase em uma operação de guerra diária. Nosso modelo educacional em geral tem formado profissionais para uma realidade já ultrapassada. Nossos educadores não estão conseguindo preparar estudantes para enfrentar os desafios do futuro.

Muitas vezes, o que ocorre nas salas de aula é reflexo do que acontece em casa. Pais que não sabem mais negociar limites e reagem com incrível submissão a hábitos e desejos absurdos e irrealistas dos filhos.

Infelizmente, deixaram de ser exceção as histórias de filhos agredindo e, em casos mais extremos, até assassinando os próprios pais. Ficamos chocados com as reportagens sobre adultos mantendo crianças em cativeiros e com a prática de abuso sexual na própria família. Também aumenta o número de divórcios, muitas vezes causados pela falta de compartilhamento da liderança, que tem levado um dos membros do casal a buscar alternativas à tirania do outro.

Nas ruas e em eventos públicos e esportivos, assistimos estarrecidos aos atos de vandalismo e violência que assustam quem sai de casa para trabalhar ou em busca de lazer. Não raramente, a competência para influenciar pessoas e para aglutinar interesses é utilizada para prejudicar inocentes, como é o caso de algumas torcidas organizadas, cujos integrantes se cadastram formalmente, não apenas para torcer pelos seus times, mas para provocar, agredir e travar batalhas campais, como se estivessem em uma guerra.

A maioria dos profissionais queixa-se de que não consegue o tão sonhado equilíbrio entre as diversas dimensões das suas vidas profissional, familiar, pessoal, espiritual, financeira, física e social. O grau de infelicidade e frustração é muito maior do que imaginamos em vários segmentos, não apenas entre executivos, mas também entre médicos, advogados, engenheiros, arquitetos, comerciantes e empreendedores de modo geral. As causas são recorrentes: dificuldades para liderar equipes, falta de comprometimento das pessoas, desavenças entre sócios, ausência de reconhecimento, problemas de comunicação, sentimento de injustiça, resultados insatisfatórios, conflito de valores, sobrecarga e mau gerenciamento das prioridades e do tempo.

No momento em que o mundo dá sinais de doença, ao deixar transparecer essa preocupante escassez de líderes, tamanha crise de valores e infelicidade generalizada no trabalho, nas escolas, em casa e nas comunidades, pouco adianta ficar tentando melhorar as bases sobre as quais as regras do jogo foram concebidas. Só reinventando e com inovações corajosas é que poderemos encontrar soluções para o que nos aflige."

César Souza, no livro "A NeoEmpresa"


Ele continua o capítulo dando insigths de como desenvolver bons líderes numa empresa, o que ele chama de criar uma cultura de "fábrica de líderes". Recomendo a aquisição e leitura deste livro.


Nenhum comentário:

Postar um comentário